Bom dia!

Untitled Document
AQUECIMENTO GLOBAL: REALIDADE OU FARSA?

A mídia tem divulgado com intensidade a questão do aquecimento global. Por outro lado, crescem os boatos de que se trata de uma grande farsa.

Desde os anos 90 tenho pesquisado o crescimento de um movimento denominado "nova era", sendo que por trás dele existe uma suposta conspiração planejada pelos "iluminatti", grupo que pretende criar a "nova ordem mundial".

Pesquisas recentes revelam que em nosso país tem aumentado consideravelmente o número de ateus e de evangélicos. Estes, tem sido os maiores divulgadores da conspiração, com inúmeros artigos publicados em revistas e alertas através de cds e dvds. Afinal, onde está a verdade?

Em primeiro lugar, meio ambiente é assunto sério, e desde o início de minhas pesquisas sobre a nova era na década de 90 tenho buscado de todas as formas esclarecer os pontos que causam mais confusão, e um deles é justamente relacionado a defesa do meio ambiente. Parem de associar ambientalismo com conspiração. Meio Ambiente é qualidade de vida. Se uma das bandeiras da suposta conspiração é essa, é justamente porque o homem está corrompido pelo materialismo e as igrejas, transformadas em empresas que visam número e dinheiro, não transmitem os devidos deveres de cidadania aos seus fiéis (ver artigo).

Se as tais conspirações que visam dominar o mundo são reais, podem crer que o plano é perfeito. Tão perfeito que uma análise profunda seria assunto para livro, e não um simples artigo como este. Dessa forma, entrarei apenas no básico da questão, deixando em aberto para perguntas e debates. Segundo os movimentos religiosos, a NOM (Nova Ordem Mundial) pretende reduzir a população mundial num futuro próximo, e o grande argumento é a lotação do planeta, que vem causando as alterações climáticas e o aquecimento global. A omissão dos chefes das nações também é proposital, está dentro dos planos, pois o caos social levará as pessoas a pedirem socorro. E o socorro virá pela nova ordem mundial.

Esta explicação é simples, mas a coisa é mais complexa. O clima está sendo alterado artificialmente, países do Hemisfério Norte possuem tecnologia suficiente para provocar secas e chuvas torrenciais em qualquer parte do mundo. Essa tecnologia é mantida sob forte vigilância e se localizam em bases secretas. Esses extremos climáticos que presenciamos quase todos os anos em diferentes pontos do mundo, são provocados por tal tecnologia, que está sob o comando da NOM. Enredo de filme? Sim. E por que não viraria realidade? Mais uma vez, os religiosos saem na frente levantando suas bíblias. Está escrito, os profetas daquela época já anunciavam que o mundo seria comandado por uma nova ordem, empossada pelos escolhidos após uma sucessão de fatos que reduziriam a população planetária.

Não duvido de nada. E não concordo com nenhum dos dois lados. Explico:

- As mudanças climáticas são naturais. Mas o crescimento populacional desenfreado e desorganizado vem acelerando o processo de extremos. Ora, nosso planeta é limitado. Não me venham com papo de que podemos continuar nos multiplicando que "Deus proverá". Deus não tem nada a ver com nossos problemas. Ainda que fosse implantado um governo que, sob ditadura, acabasse com a exploração indiscriminada dos recursos naturais, teríamos que controlar o crescimento populacional.

- É certo que existe tecnologia capaz de interferir no ciclo das chuvas. Acho muita pretensão, abomino o uso da tecnologia para provocar tragédias e forçar o caos. Dessa forma, sou contra esse tipo de organização se ela realmente existe.

- O plano sinistro de acelerar o processo de caos planetário para justificar a eliminação em massa não dá alternativas, pelo menos aparentemente. Eu mesmo, ciente do desequilíbrio social e psicológico do ser humano, já não vejo medidas "suaves" de corrigir e mudar pessoas. O povo se mata por carro, roupa de marca, joias e até posse do outro. Se suicida lentamente com drogas lícitas e ilícitas, e antes de morrer, leva parentes e amigos para o túmulo. Nessa linha de raciocínio, não duvido de que muitos estejam de pleno acordo com os planos da conspiração.

- O "modus operandi" dos religiosos é ineficaz. Protestos, invasões de prédios e reuniões, gritos e acusações não mobilizam números significativos de pessoas, não esclarecem de acordo, e sequer preocupam os conspiradores. Estamos longe de encontrar a saída racional. Enquanto nós, que não concordamos com tal conspiração, ficarmos batendo na tecla de fazer o contrário do que eles falam, e sensacionalismo para convencer na base do medo, vai dar no que eles querem. Então fazer o quê?

Se a questão ambiental é a locomotiva, pensemos nela. Estamos fazendo o dever de casa? Meia dúzia faz. Meia dúzia que pouco faz diferença. Precisamos de mobilização em massa, e era pra ontem. Alguém já vai gritar: "mas não é justamente isso que eles querem"? Sim e não. É o que pregam porque sabem que o povo é incapaz de fazer esse dever. E a coragem exige riscos. Nunca repararam que todos os formadores de opinião são vigiados? É abraçar causa de risco, mas é o único caminho. Os protestinhos não incomodam. Os protestos contra o uso de peles de animais fizeram o comércio acabar? Não!

Para encerrar, deixo claro que bater de frente não resolve. O plano é muito inteligente e complexo. O aquecimento global é uma realidade que está sendo usada para manipular as pessoas no jogo. É como se no decorrer dos séculos tivéssemos construído lentamente uma armadilha para nós mesmos. A armadilha não foi criada por eles (NOM). A armadilha é obra nossa que eles vão comandar, porque nós, como cidadãos, falhamos em todos os aspectos, ambientais e sociais. De tudo que os religiosos gritam, um ao menos estou de pleno acordo: paremos de ir no embalo das alienações; lavagem cerebral de "músicas" e campeonatos esportivos. Se pelo menos das alienações nos livrarmos, conseguiremos enxergar a extensão da coisa.


Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania