Boa noite!

GRIPE SUÍNA

GRIPE SUÍNA

 

     Epidemias ou pandemias vão e voltam.  A humanidade passa por elas, não esquece, mas não se cuida, ou seja, não aprende nunca.

     Em primeiro lugar, deveria estar o Meio Ambiente.  Fala-se muito em Meio Ambiente, até moda já foi lançada, o “ecologicamente correto”.  Mas não é por aí.  Meio Ambiente não pode ser moda ou simplesmente ostentação de ISO.  Meio Ambiente precisa ser atitude incorporada no dia-a-dia. A reciclagem, o simples ato de lavar as mãos... por que só agora lavar as mãos? “Cultura”. A “cultura” do lucro a qualquer custo, onde os empresários nunca se preocuparam com a saúde dos funcionários, principalmente aqueles que mexem diariamente com dinheiro, ou mais precisamente a todo momento, como caixas de supermercado. O homem, “macho”, que simplesmente por ser macho não precisa lavar as mãos. Tudo questão de “cultura”.

     Com tanta droga no mercado, os laboratórios lucrando absurdos com a cultura do remédio no lugar da informação sobre cuidados com a higiene e a mente, os vírus vão passando por mutações e adquirem mais resistência, principalmente devido às mudanças climáticas.

     A tal gripe suína é só mais um alerta, para mostrar que a humanidade caminha na contra mão, e quem segue na direção certa, precisa levar multidões junto. Por que com tanta tecnologia e inseticidas no mercado, ainda somos vítimas de simples mosquitos, como o transmissor da dengue? Por falta de cuidados básicos com a higiene e, principalmente, falta de (boas) políticas públicas.  Enquanto não levarmos a sério a higiene e fiscalizarmos quem colocamos no poder, nada vai melhorar. Enquanto deixarmos as pessoas matarem os predadores naturais dos mosquitos, que são os sapos e lagartixas, haverá cada vez mais mosquitos transmitindo doenças. E enquanto assistirmos de braços cruzados a destruição das florestas, sem cobrar ação dos (poucos) políticos honestos do país, da Polícia Federal e do exército (o caso da Amazônia é de PF e exército), as mudanças climáticas se acentuarão e novas doenças surgirão.

     Que essa tal gripe suína sirva de lição. E que os hábitos adquiridos só a partir de agora, sejam permanentes.

 

 

  • Certa vez, numa cidade pequena do interior paulista, um rapaz tentou justificar porque matava sapos e lagartixas. Sabem qual foi a justificativa? “São bichos nojentos, escrotos” – disse ele para mim.

  • Enquanto houver pessoas que levam em conta a aparência, os verdadeiros vilões prosseguem fazendo suas vítimas tranquilamente.

 

Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania