Boa noite!

Untitled Document
panorama polÍtico brasileiro para os jogos

Imaginava-se que dada a importância dos jogos mundiais em território brasileiro, a classe política no país diminuísse as tramoias para atrapalhar o "adversário" e passasse a trabalhar conjuntamente pelo país. Mas até agora, o que vemos é a disputa em baixo nível, com denuncismos e a prática comum das licitações suspeitas, direcionadas e o superfaturamento. A guerra entre PSDB e PT continua prejudicando a nação de um modo geral. 2012, por ser ano eleitoral, notamos que nada mudou na relação entre os dois.

É preciso deixar claro que a única forma dos dois maiores partidos trabalharem efetivamente pela nação, é cada um fazer uma auto-análise, reconhecer seus erros e abolir de vez a corrupção. Não importa o nome do corrupto. Está dentro do partido, errou, fora. E pague pelo erro, ou seja, devolva o que roubou. Admitir os erros e a corrupção dentro da própria casa é o primeiro passo para a faxina. Poupa até o trabalho da PF, que tem casos "escabrosos" para investigar nas máfias que trabalham entre o território brasileiro e os vizinhos latino-americanos.

Independente de capitalismo e comunismo, todos os partidos precisam entender que é a hora de repensar a política mundial. Do jeito que está, não dá. É preciso mudar a forma dos políticos tratarem os empresários, é preciso mudar as políticas sociais. E principalmente, precisamos de uma imprensa livre e sem rabo preso com este ou aquele político. Será que é tão difícil para você, vereador, prefeito, deputado...deixar definitivamente as picuinhas, a ciumeira e a velha rixa partidária, para trabalhar em conjunto com os demais para o bem de sua cidade e da nação? Se a obra é necessária, não tem porque bloquear. Se é necessário seguir a legislação ambiental, por que não fazê-lo? Trabalhe-se dentro da lei, e não manipulando as leis através de pessoas influentes, e não haverá paralisação. Trabalhe-se sem favorecimento a grupos x ou y, pois todos estão sujeitos às mesmas leis. Se os representantes do povo não se conscientizarem disso, o vexame será internacional. Ai se alguma obra apresentar problemas técnicos durante os jogos. Ai se alguma não for entregue dentro do prazo devido a irregularidades. Para o povo, não interessa se a culpa é de PT ou PSDB. A culpa é dos políticos, e não da legenda. Legenda é algo supérfluo quando o que está em jogo é o bem estar social. Quem faz as legendas precisa seguir duas coisas: as leis e rever a forma de se fazer políticas públicas.

PERFIL DOS DOIS MAIORES PARTIDOS DO PAÍS

PSDB – Visto pelo povo como "partido da elite", faz jus. Reúne intelectuais e empresários, curiosamente pessoas que foram a favor da ditadura estabelecida em 64 e outras que lutaram contra. Seus simpatizantes não escondem uma paixão cega pelo "american way of life" e uma repulsa doentia pelo socialismo. Por reunir grandes profissionais, os "tucanos" sempre conseguiram realizar boas administrações em muitas cidades e agradar a opinião pública, no entanto a confiança cega e os contratos firmados entre o público e o privado nem sempre resultaram em qualidade na prestação de serviços. As polêmicas privatizações têm favorecido a formação de monopólios. Os tucanos "tiram o corpo fora" porque a má prestação de serviço é responsabilidade "da empresa". Mas quem consegue cobrar, questionar, sugerir e processar um monopólio? Qualquer cidadão, por mais leigo que seja, enxerga que a política do PSDB é neoliberal. Uma vez vencida a licitação, o poder público deixa o empresário ao bel prazer, nem mesmo fiscaliza o empresário, transmitindo a responsabilidade para o povo fiscalizar. Não é bem assim. A função de fiscalizar é de ambos; poder público e população, pois boa parte de nossa população não possui conhecimento técnico para identificar que determinado problema é decorrente de manipulações internas da empresa prestadora de serviço, falhas ou erros propositais no contrato, já que o povo não tem acesso a tais documentos. Este é apenas um exemplo de um dos maiores problemas do PSDB; a relação com os empresários. Se por um lado estimulam o estudo, a formação de profissionais e o empreendedorismo, do outro dificultam a entrada dos novos e pequenos no mercado justamente devido a política de dar preferência aos grandes nomes. "Dão com uma mão, tiram com a outra". Nos últimos anos, com a diminuição no número de membros e simpatizantes, os tucanos têm focado suas políticas públicas mais nas grandes periferias, no entanto a forma de tratar as pessoas dentro dessa realidade distante da deles, não tem surtido efeito positivo. Continuam perdendo a batalha contra as drogas, pois só sabem combater na forma repressiva (leiam artigo meu que mostra que a questão das drogas deve ser combatida de cima para baixo – os maiores consumidores são as pessoas de classe média e alta - e a política tucana combate de baixo para cima). E os projetos de formação de renda através de cooperativismo são descartados para entrada dos grandes empresários.

PT – Nascido no seio dos trabalhadores das grandes indústrias paulistas, sempre foi visto como esperança de mudança e nascimento de um novo socialismo no lugar do neoliberalismo. Mas com o passar dos anos, o partido foi crescendo e acolhendo pessoas com perfis bastante diferentes, inclusive pessoas da classe média e até média / alta. Dessa forma, seu desenvolvimento paulatino e sua forma de fazer políticas públicas, ora tendendo para os interesses coletivos, ora para os interesses da classe média e setor privado, culminou com a chegada do partido ao cargo mais alto da nação e a posição de grande partido em número de filiados. Houve na ocasião uma expectativa e até "temor" pelo início de um processo socialista no país, o que não ocorreu. Estranhamente, logo que Lula venceu, um de seus filhos foi sequestrado. Teria sido um "aviso?" Desde então a política do PT tem sido um quebra-cabeça entre atender aos anseios da população menos favorecida e o interesse dos empresários; "não é um neoliberalismo nem um socialismo, não é nem uma coisa nem outra". Escândalos de corrupção derrubaram vários petistas, mas o partido se mantém forte e imbatível. Conseguiu em algumas cidades fazer administrações exemplares, como em Porto Alegre e outras cidades interioranas, já em outras foi o contrário. Por ser um partido que ficou no meio do caminho entre o capitalismo e o socialismo, conquistou simpatizantes do PMDB, outro grande partido brasileiro, que ora tende para o PSDB, ora para o PT.



Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania