Boa noite!

Untitled Document

QUEM PAGA A CONTA?

 

     “Autoridades” brasileiras continuam batendo na mesma tecla. Não chegam a um consenso quanto a atacar o problema social na raiz e por isso inventam remendos para “amenizar” a questão da segurança pública e o combate ao crime. A mais recente estupidez inventada foi manchar as notas guardadas nos caixas eletrônicos toda vez que violados. Ora, dinheiro não custa dinheiro? Os assaltantes não levam as notas porque ficaram manchadas, e o prejuízo das notas inutilizadas fica para quem? Isso mesmo, para nós, cidadãos do bem. A reposição das notas custa dinheiro, dinheiro que não vai para a saúde, para obras de infraestrutura, etc., e sim para a reposição do dinheiro, que não foi roubado mas destruído. E o prejuízo para nós não para aí. Quem tiver o azar de receber uma dessas notas manchadas, que pode acontecer até num saque no caixa eletrônico, terá que registrar boletim de ocorrência, perder tempo para se livrar de um problema que não procurou. Nós estamos “pagando o pato” pela incompetência do poder público, que hoje, no século vinte e um, ainda não conseguiu encontrar o rumo para evitar que crianças, jovens e adolescentes entrem na vida do crime. Responsabilidade dos pais? Também. Porém mais uma vez repito: o primeiro educador é o governo, em seguida vêm os pais.
     Se o governo cria obstáculos para inviabilizar o roubo a caixas eletrônicos, o assaltante vai agir em outro lugar. Se os centros das cidades estão vigiados por câmeras, os bandos vão assaltar chácaras. Se as dignas prefeituras, com ou sem ajuda do Estado, ocupam as favelas até então dominadas por traficantes, implantando polícias pacificadoras ou o nome que quiserem, os grupos “fora da lei” se instalam em outros bairros, outras cidades. É a eterna perseguição entre o gato e o rato, como nos desenhos animados. O gato pode até alcançar o rato, mas não mata. Expulsa o rato de determinado lugar para outro.
     Reconheço que investir no ser humano, começar a trabalhar na raiz do problema social, é tarefa para longo prazo. O problema é que ainda não vi em nenhum lugar deste país um prefeito, um deputado, um governador lançando a semente. E é fácil entender o porquê.
     E assim, nosso belo país vai afundando na corrupção e o povo pagando a conta. Depois do caixa eletrônico, qual será a próxima “estupidez técnica?”

 

Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania