Boa noite!

DÁ-LHE TRANSGÊNICOS NOS CACHORRO

DÁ-LHE TRANSGÊNICOS NOS CACHORROS!

 

 

     Organismo Geneticamente Modificado. A façanha da ciência chegou há algum tempo nos alimentos, mas devido à polêmica envolvendo questões éticas (e até religiosas), cresce no “submundo” científico. Vai penetrando na sociedade sutilmente, sem fazer muito barulho. O que ajuda essa penetração, é a falta de informação do povo, ou em outras palavras, a ignorância.

     O que é esse organismo geneticamente modificado, ou alimento transgênico? Trata-se de um ser vivo cuja estrutura genética (a parte da célula onde está armazenado o código da vida), foi alterada pela inserção de genes de outro organismo, atribuindo a ele características não programadas pela natureza. Por isso, uma lavoura geneticamente modificada não é atacada pelas pragas e insetos. Se o inseto que se alimenta de determinada planta chegar a ingeri-la, morrerá. Os produtores rurais descobriram na lavoura transgênica, a “salvação” para o problema das perdas resultantes das pragas. Lucro dobrado, pois não precisa investir em agrotóxicos como antes.

     Mas fica a pergunta que não quer calar: se o organismo geneticamente modificado tem efeito imediato aos insetos, não teria efeito a longo prazo nos demais seres vivos; animais e pessoas? É cedo para se ter certeza. A princípio, foram constatadas apenas algumas reações alérgicas em determinadas pessoas. E daqui a cinco, dez, vinte anos? Qual o efeito de se ingerir alimentos que contenham por exemplo, genes de animais? Genes de determinada planta em outra? A engenharia genética não respeita as fronteiras da natureza, que é equilibrada. Experimentos necessitam de décadas para se ter certeza de que não alterou o ciclo normal da vida. Mas a pressão dos laboratórios e produtores devido à tentação de aumentar formidavelmente o lucro, já é percebida nas prateleiras dos supermercados. De uma hora para outra, quase todas as rações caninas passaram a ser derivadas dos organismos geneticamente modificados, que podem ser identificadas pela letra “T” dentro de um triângulo amarelo. Se você já alimenta seu cão com ração transgênica e não notou nenhuma diferença nele, dirá: “vou continuar alimentando com ração transgênica, não vi problema algum”. Pois bem, sabe-se que determinados problemas só se tornam visíveis com o passar do tempo, dos anos. Ainda é cedo para dizermos com certeza o que isso representa para os seres vivos. Enquanto é cedo, seus “pets” são as cobaias. Em alguns países, já há pessoas se alimentando normalmente de organismos geneticamente modificados. E talvez até nós, pois o símbolo amarelo nos alimentos que consumimos afasta as pessoas devidamente esclarecidas sobre a questão. Quem conhece a fundo a ciência do transgênico, tem um pé atrás, como eu. Por isso, discordo totalmente desse “cartel” formado pelos produtores de ração canina. Cada produtor deveria deixar 50% de seus produtos fora da linha transgênica, para avaliar a aceitação dos consumidores. Mas como o problema crônico em nosso país ainda é cultura e informação, se aproveitaram da ignorância. Por isso, escrevo este artigo. Leia sobre os transgênicos, na internet é possível encontrar artigos que falam sobre as vantagens e as desvantagens de tais alimentos. Pesquise e tire sua própria conclusão. Se você não se sente seguro com tais alimentos, não compre. Só assim evitaremos que de uma hora para outra fiquemos sem opção de compra nos supermercados, como já ocorre com as rações caninas.

Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania