Boa tarde!

Água Beleza

MODAS

     Sou ovelha-negra com orgulho. Por que ser igual a todo mundo? O diferente sempre me atraiu, por isso raras vezes embarquei em “modas” que a sociedade segue no visual. Segue de olhos fechados e nada questiona. Dá para contar nos dedos algo que comprei por estar em alta. Lembro-me de duas: nos anos 80, a tal da “New Wave”. Havia calçados, calça e camisa que combinavam, estavam na moda. Comprei apenas um conjunto. E alguns anos depois, a moda do “Comander”, uma botinha. Havia a de lona e a de camurça. Como eu era exigente, comprei a de camurça. Logicamente havia aquele “colega” que comentasse: “olha lá, quem pode compra de camurça”. Mas eu não estava preocupado com exibicionismo, e sim com a qualidade, a duração, já que eu andava muito.
     De lá para cá nunca mais segui modas, tendências. Adquiro aquilo que me agrada, não me importo com comentários alheios. O que eu quero é me sentir bem. Algum tempo atrás fui comprar meias e me ofereceram a tal da soquete. Eu nunca havia pego aquilo, e quando vi, achei horrível. É moda? Deixo pra quem gosta. Eu não gosto. Da mesma forma que não uso calças baixas, caindo. Um dia vi um vizinho meu de condomínio, adolescente, seguindo para casa. A cada cinco passos que dava, tinha que levantar a calça para não mostrar a cueca toda. Cada cabeça, uma sentença. Se é que há alguma coisa em certas cabeças.

.

 

 

Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania