Boa noite!

Nova página 0

 

O Escritor

André Piloto é o nome literário de George André. O nome piloto foi sugestão de amigos, que chamavam-no de "piloto-de-fuga" quando dirigia.
Nascido em Jundiaí nos anos de ditadura militar, viveu intensamente a pacata cidade da década de 70. Em sua opinião, a melhor época para curtir os centros de nossas grandes cidades foi de 74 a 78. Depois veio a decadência.
Descobriu o dom de escritor (e também as lições de oratória) na 5ª série ginasial, com o Professor Celso. Desde então, escreveu inúmeras estórias, sempre com personagens baseados em seus colegas, vivendo situações absurdas, fantasiosas.
A partir de 1986, iniciando curso de Administração num colégio particular, conheceu o lado frio da sociedade e do mundo político. O gosto pela realidade e as questões sociais se firmou mais precisamente em 1988, ao conhecer IN LOCO a vida numa das favelas da cidade de Jundiaí.
Em 1989 começou a escrever sua primeira novela, um romance juvenil retratando de forma nua e crua o distanciamento social na vida de um jovem da classe media/alta e outro da classe baixa. O livro de 269 páginas deu uma pincelada em inúmeros assuntos polêmicos, como o preconceito, os favores políticos, a atuação dos corruptos e maus profissionais, as catástrofes ambientais, as drogas e etc. Publicada a Primeira Edição em 1996 (500 exemplares), em 1998 veio a 2ª com mais 500. Nesse ano o escritor já havia iniciado palestras na Associação de Educação do Homem de Amanhã (Guardinha de Jundiaí) e nas escolas públicas de Jundiaí e região. Foi verbete em dois dicionários de escritores nacionais contemporâneos, do Historiador, Poeta e Romancista Adrião Neto. Em 1999 iniciou novo livro de 300 páginas, a estória de Jéssica e Boy. Em seguida, a pedidos de leitores, iniciou Marvin II. São duas obras a espera de patrocinadores para publicação. Enquanto isso, o escritor tem lançado mini-livros, de 30 a 50 páginas, também chamados de livros artesanais ou populares. Até o momento são 6 em circulação: Palavras de Atitude e Beleza (Versos e Prosas), O Hospital - Lugar de Vida Loka (ficção montada num documentário), Segurança Pública e Cidadania (Proposta de exercício da Cidadania), Ônibus e o Orelhão (Educativo), Saúde e Cidadania e Mata Sombria.


Uma Vida Dinâmica

      O termo “rueiro” nos anos 70 era aplicado aos jovens e adolescentes que levavam uma vida desregrada, longe dos estudos. Mas foi a rua que ensinou George a conhecer o mundo, seus desafios, perigos e principalmente a entender a cabeça das pessoas, como funciona a sociedade. O que mais impressiona nisso, é que George conseguiu conciliar os estudos (teoria) com a rua (prática). Quando estava em casa, equilibrava estudo com lazer (estudava matérias de escola e também outros livros por conta própria) e tirava suas horas para brincar e assistir televisão, filmes, novelas e jornais. Na rua, não se prendia a jogos de futebol no campinho ou olhar vitrines. Tinha momentos para andar de bicicleta e brincar com colegas, mas o que atraía o futuro escritor nas ruas era o simples fato de conhecer, observar como era a cidade, desvendar lugares até então desconhecidos. Foi uma infância normal mas com muitos detalhes incomuns às crianças de hoje, seduzidas pelo consumismo. George mantêm o mesmo estilo hoje. Enquanto as famílias levam os filhos passear em shoppings, adquirir a cultura do consumismo e da falsa segurança, ele está no mundo real. George nada teme porque nada deve. Sabe se comunicar com todo mundo, leva seu conhecimento a todos através de seus livros, jornais, palestras e também no próprio exemplo de vida, pela amizade. O que diferencia George de muitos profissionais é o contato, o corpo-a-corpo, a dedicação, a presença. Enquanto políticos e parte dos profissionais tratam os outros como número, George trata como seres humanos, parte de sua vida, irmãos e irmãs. Não faz tratamento diferenciado a ninguém por pertencer a religião x ou tal condição social. E isso pode ser comprovado por todos aqueles que realmente o conhecem, que convivem com ele no dia-a-dia, nos bastidores, na intimidade. O mundo ensinou George a ser uma pessoa eclética, que sabe separar o joio do trigo mas nem por isso se afasta daqueles que estão no joio. As pessoas que estão no submundo precisam de força para sair de lá. Não da falsa caridade para inglês ver, e muito menos da atitude enganosa de “jogar pérolas aos porcos”. São desafios que o escritor aprendeu e ainda aprende no cotidiano das ruas, das viagens, pois seu trabalho literário não é ficção para agradar ou fazer dinheiro fácil. O trabalho literário do Escritor Piloto é um compromisso com a transformação social.



Resumo das qualificações, habilidades e conhecimentos do Escritor Piloto:

Geografia Física, Política (regional, mundial)
Ministra aulas particulares, correção de mapas etc.

Português e Literatura
Ministra aulas particulares em ortografia e redação.

Psicologia das Relações Humanas

Administração

Cinema (curso básico)

Meio Ambiente (ministra palestras)

Desenvolvimento Sustentável

Agroecologia

Biologia (parcial)

Técnicas de vendas

Pesquisa a campo ( fez o censo do IBGE em 1991)

Roteirização

Viagens

Fotografia Profissional

Digitação (ministra aulas particulares)

Transporte coletivo, urbano e rodoviário

Problemas sociais urbanos (Estado de São Paulo)

Perfil do dependente químico

Sistema penitenciário (como parte dos problemas sociais urbanos)

Religiões, Seitas, Nova Era

Exercício da Cidadania

 

Singularidade: Disposição Infinita para viajar, conhece mais de 400 cidades em vários estados do Brasil além de possuir habilidade extraordinária com mapas.

 

Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania