Bom dia!

O BRASIL E A HOMENAGEM AOS VELHO

AS VELHAS RAPOSAS DE OLHO NA PERIFERIA
 

     A geração 90 não tem a devida noção dos bastidores políticos da época da ditadura militar no Brasil. Não foi somente uma época de “caça aos comunistas”, mas de abusos inimagináveis contra os cidadãos que não possuíssem um determinado poder aquisitivo ou estudo. Hoje, processa-se por racismo, injúria, calúnia e difamação, danos morais...naquela época não havia nada disso. Ao ouvir a pérola “você sabe com quem está falando” o pobre cidadão saía de cabeça baixa para não apanhar ou ser preso. Bem...conheço algumas figurinhas que ainda utilizam a pérola para impressionar, mas hoje quem fala isso fica queimado na política. E são esses políticos, que possuíam rabo preso com aquele sistema ditatorial de direita, que estão se maquiando de bons samaritanos, falam em inclusão social e correm apoiar os artistas da periferia.
     Olhos abertos. Depois que um partido de esquerda chegou a presidência (embora não faça exatamente um governo de esquerda), os partidos de centro e direita, em sua maior parte constituídos por uma elite que apoiava o governo militar, estão mudando a forma de fazer políticas públicas. É investimento no social, gratuidades, vantagens para crianças e idosos, até alimentação “boa e barata” para o povo. Não é caridade. Políticos não fazem caridade, tem a obrigação de servir ao cidadão, por isso são servidores públicos. A função dos políticos é administrar o dinheiro dos impostos para servir cidades e países, servirem a nós, que pagamos impostos. Portanto, não fazem mais que a obrigação. O Brasil teve muitos governos que serviram basicamente a elite, da presidência às prefeituras. Isso porque historicamente quem engajava na política eram filhos de famílias abastadas, que se formavam nas melhores universidades, inclusive na Europa e Estados Unidos. Até os anos 80 era assim. A abertura democrática mudou esse quadro, e atualmente, com o crescimento da democracia socialista (não é exatamente uma ameaça à democracia como dizem), as velhas raposas apostam no discurso da inclusão social. Fiquem atentos, internautas. Eles realmente mudaram ou querem apenas recuperar os votos que estão perdendo?
     Asfalto, creches, conjuntos habitacionais, metrô, apoio à cultura da periferia, ao esporte...são políticas públicas óbvias, que qualquer político convencional faz. Precisamos de políticos com propostas eficazes e palpáveis, de mudança nas políticas públicas. Que adianta remediar, “dourar a pílula”? O surgimento de favelas é resultado do descontentamento de famílias no lugar onde estão. Quem migra para arriscar uma “vida nova”, normalmente sai de uma cidade mal administrada, dominada por “coronéis” e políticos corruptos. Todo cidadão ama a cidade onde nasceu e quer ver sua cidade crescer, melhorar em todos os aspectos. Se sai, é porque sua cidade não oferece recursos para aperfeiçoamento técnico e profissional. Falei em outro artigo, que o primeiro passo para erradicar a miséria e os problemas sociais, é a união on-line das prefeituras para trabalho conjunto independente de ideologia partidária. Infelizmente, o que vemos é justamente o contrário. Os conflitos entre “socialistas e capitalistas” é cada vez mais acirrado. Uma pseudoesquerda apela para assistencialismo e a direita, travestida de democrática, faz uma enganosa política de inclusão social, que não busca a cura, apenas remedia os problemas.
     Político que faz promessas, não merece crédito. Político que não circula a pé na casa de amigos na periferia, não merece crédito. Político que se assusta quando alguém fala em mudanças, não merece voto. Questão social envolve três coisas: prática, convivência e atitude. Aqueles que só possuem teoria, fazem mal feito ou pela metade. Quem não convive, não possui amizade, é porque faz tratamento diferenciado. É fácil defender o fim do preconceito e da discriminação na base do “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço”. Tomar atitude em primeiro lugar mudando seu próprio comportamento, para depois ter a atitude lá fora.
     Por tudo isso, olhos atentos nas velhas raposas. Mudaram realmente suas personalidades ou estão fazendo pela periferia somente para conquistar os votos de vocês?

Parceiros













Eu Apoio


Juliano Gaitero


Sebo O Barato da Cultura


Aloysio Roberto Letra
Escritor e Roteirista


Rock Nacional
e Internacional



Soul, Funk, Samba
Rock e Derivados


Em Defesa do Meio
Ambiente e Cidadania